Pular para o conteúdo
Voltar

Pesquisa em MT descobre utilização mais eficiente do calcário para corrigir acidez do solo em todo o estado

O estudo inédito desenvolveu curva de determinação da acidez adaptada às condições de solo do estado e vai mudar a realidade da agricultura em Mato Grosso.
Widson Ovando | Fapemat

Foram coletadas mais de 200 amostras de solo em todo o estado - Foto por: Arquivo/pesquisador
Foram coletadas mais de 200 amostras de solo em todo o estado
A | A

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Araguaia e Programa de Pós-Graduação em Agricultura Tropical, coordenados pelo Prof. Dr. Milton Ferreira de Moraes desenvolveram um estudo permitindo a descoberta de uma curva inédita com capacidade determinar com mais precisão a acidez nos solos de todas as regiões do Estado.

 

Os resultados do projeto “Calibração de curva tampão para determinação de acidez potencial dos solos do Estado de Mato Grosso”, fomentados pelo Edital Universal 2016 da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso (Fapemat), desenvolveu uma curva de medição da acidez dos solos específicos para as regiões do Estado de Mato Grosso, tendo em vista que não havia um método específico de diagnóstico para a utilização adequada para o calcário, usando antes curvas de outros estados.

 

Os levantamentos destes dados permitiu criação de uma biblioteca de solos (Soloteca), de todas as regiões do estado, foram coletadas mais de 200 tipos de amostras no período de  dois anos que foram usadas na pesquisa e armazenadas em laboratório no Campus da UFMT/ Araguaia, facilitando estudos futuros sem precisar ir a campo coletar, agilizando  e minimizando  custos para futuras pesquisas.

 

O pesquisador ressalta que os próximos  passos dos estudos avaliará a eficiência do método de Diagnóstico  da acidez (curva) na utilização do calcário, “a demanda do uso do calcário cresceu muitos  nos  últimos anos, com isso a importância ter esse método para a aplicação da dose adequada, se aplicar em excesso o produtor perde por que está aplicando algo desnecessário e a  longo prazo além do custo poderá ter danos à produtividade da lavoura, quando menos pode tornar a lavoura ácida e não atingirá o potencial produtivo, com essa metodologia além do fator de melhorar o diagnóstico na calibragem para o uso adequado, também traz maior sustentabilidade, rentabilidade no desenvolvimento do estado, gerando um fator social e econômico”.

 

O Prof. Milton destaca “a importância dos investimentos à pesquisa feitas pelo governo através da Fapemat e Empaer-MT, bem como as entidades ligadas ao setor do agronegócio, Aprosoja-MT, Fundação MT, Embrapa, IFES, CNPq e CAPES, salienta a importância destes fomentos para novas descobertas e a formação de novos pesquisadores para um melhor crescimento, melhorando a produtividade ”. A pesquisa contou com a colaboração de várias instituições e, especialmente, com a execução pelos discentes de mestrado, doutorado e pós-doutorado do programa de pós-graduação em Agricultura Tropical da UFMT-Cuiabá.

 

O Presidente da Fapemat, Marcos Fernandes de Sá enalteceu a importância destas pesquisas, “nosso estado se destaca pela grande produtividade no agronegócio, esse tipo de estudo só fortalece o crescimento deste setor, a Fundação já investiu em torno de R$ 5 milhões em várias áreas do conhecimento no Edital Universal 2016, que sempre tem trazido excelentes resultados, mostrando a importância destes fomentos na Ciência, Tecnologia e Inovação”.